segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Será mesmo sorte?


Fiquei ouvindo ele falar sobre as histórias de pessoas que sobreviveram ao desastre do Rio de Janeiro. Que sorte tiveram essas pessoas! - ele dizia enquanto contava o caso de uma família que deveria estar no local, mas não estava. A mulher se atrasou pra sair do trabalho e o filho... bem, não me lembro mais o que o filho foi fazer, mas me lembro que a história me impressionou naquela hora, e continuou martelando na minha mente por dias a fio. A casa não está mais lá. Era para eles estarem mortos, mas estão vivos. Por que?

Ele disse que foi sorte, mas eu não me conformaria com tal explicação com toda aquela urgência de ser conclusiva, mas que só faz deixar as coisas no ar. Afinal de contas, quantas pessoas morreram ali!? Provavelmente perto de mil. Às vezes penso mesmo que, em muitos casos, sorte e azar são palavras que usamos quando não queremos admitir que tudo está nas mãos de Deus, e muita coisa está também em nossas mãos.

Luz e paz a todos!

4 comentários:

Lu Souza Brito disse...

Oi Jordana,

Tens razão. Muitas vezes o que chamamos de sorte nada mais é que a mão de DEUS intercedendo por nós.

Um abraço

Amanda Luna disse...

Oii,concordo plenamente com você!!!
Agora, depois da tragédia o que resta é ter fé e lutar por dias melhores!!
beijão
www.sermulhereomaximo.com.br

diariodumapsi disse...

No caso da trajédia do Rio de Janeiro muita coisa estava na mão dos homens. Mas por puro descaso humanos, muitos morreram.
Boa semana.
gd beijo

Alicinha disse...

Concordo com vc. Post muito legal. Sugiro esse texto do meu blog - http://alicinha-reflexoes.blogspot.com/2008/06/sinais-de-deus.html - como complemento de leitura